Primeiro filme em Dolby Atmos do Brasil é destaque da Expocine 2022

Angelo Peterson
Angelo Peterson
6 min. para leitura
Primeiro filme em Dolby Atmos do Brasil é destaque da Expocine 2022

O que é melhor? Apenas “estar” numa sala de cinema ou sentir-se dentro do filme, lado a lado com os personagens, vivenciando a ação? Isso é o que faz a tecnologia de som imersivo 9.1 em Dolby Atmos. E o primeiro filme brasileiro a possuir esta tecnologia é a produção curitibana Coração de Neon. Por essa inovação, o filme é um dos destaques da Expocine 2022, o maior evento da América Latina voltado à indústria cinematográfica e que ocorre entre os dias 20 a 23 de setembro em São Paulo.

Lucas Estevan Soares, diretor do IHC, a produtora do Coração de Neon, estará no painel da Dolby na Expocine, ao lado do gerente de vendas da Dolby para a América Latina, Luciano Taffetani, falando sobre a experiência de finalizar um longa-metragem com a tecnologia. O painel será no dia 21 de setembro, na sala Cinionic do Cine Marquise (Av. Paulista, 2073 – Cerqueira César, São Paulo).

Pioneirismo e inovação

Apesar do Brasil já possuir cerca de 40 salas com a tecnologia Atmos, apenas filmes estrangeiros exibidos nelas possuíam a tecnologia embarcada. Coração de Neon é o primeiro do cinema nacional a possuir a inovação.

“O IHC carrega em seu DNA a coragem de se arriscar independente das consequências, a essência do cinema guerrilha: não desistir de tentar encontrar novos caminhos para fazer os projetos acontecerem. Sermos o primeiro filme de som imersivo do Brasil nos coloca em um lugar de destaque. Para o nosso primeiro longa-metragem, isso representa vitória antecipada”, comemora Lucas Estevan Soares, diretor, produtor e ator de Coração de Neon.

Ele explica que a tecnologia chegou até o IHC pelas mãos do mestre em áudio Gustavo Andriewiski, que além de assinar a direção de som de Coração de Neon, também é diretor do Estúdio Delarte, no Rio de Janeiro, um dos únicos estúdios nacionais habilitados e com as ferramentas necessárias para realizar a finalização na tecnologia Atmos.

Lucas ainda mostra em que momento da produção o “toque de mestre” do som imersivo acontece. “É claro que existe uma importância gigante em toda a captação de áudio durante a produção. Mas a mágica acontece mesmo durante o processo de pós”, ressalta o cineasta.

O que faz o som imersivo 9.1 em Dolby Atmos?

Dolby Atmos é uma tecnologia de som surround desenvolvida pela Dolby Laboratories. Ela expande os sistemas de som surround existentes adicionando canais de altura, permitindo que os sons sejam interpretados como objetos tridimensionais. O Dolby Atmos verticaliza o áudio, potencializando o efeito surround fazendo parecer que o espectador está em uma bolha sonora, trazendo a sensação de estar dentro da cena.

O som imersivo geralmente está presente nos filmes de blockbuster, pois são filmes com muita ação e efeitos especiais. São nestas cenas que a alma do Atmos invade a sala e é quando conseguimos sentir sua presença e potência de verdade.

“O processo de criação de som imersivo fortalece a conexão do público com o filme, é uma experiência transcendental, eu diria. A Dolby faz um trabalho impecável com sua tecnologia e cabe aos maestros do som, como é o caso do Gustavo, utilizar essas ferramentas da melhor forma possível no processo de finalização de um filme”, analisa Lucas.

Ele ainda ressalta que o público terá uma experiência inovadora na sala de cinema. A tecnologia permitirá quase como um teletransporte ao bairro onde o cineasta nasceu e cresceu e onde se passa a trama de Coração de Neon. “O público vai conhecer a minha origem, de onde tudo começou na minha vida”, convida o cineasta.

Sobre o Coração de Neon

“Coração de Neon” conta a história de Fernando, um jovem performer que ao lado de seu pai dirige um carro de mensagens, o Boquelove (referência ao nome do bairro, em Curitiba, onde o filme foi gravado, o Boqueirão). Eles sonham em levar o serviço para os Estados Unidos, mas uma das mensagens que eles vão entregar, que seria de amor, acaba em tragédia depois de uma apresentação malsucedida. A vida de Fernando muda por completo e ele acaba embarcando numa jornada alucinante em nome do amor.

“Coração de Neon” é uma produção curitibana e independente (o primeiro do cinema nacional a ser 100% curitibano), realizada totalmente com capital próprio, sem financiamentos externos. O longa-metragem foi premiado em festivais de cinema nacionais e internacionais e exibido em festivais no Brasil, Estados Unidos, Europa e Ásia.Inclusive ganhou destaque no Festival de Cannes, na França, sendo aclamado como o “novo cinema popular brasileiro”.

Ficha técnica

Título original: Coração de Neon

Duração: 100 minutos

Data de término: 2022

País de origem: Brasil

Idioma: Português

Formato:  5K Red RAW

Aspect Ratio: 2.35:1

Áudio: Dolby ATMOS 9.1

Diretor e roteirista: Lucas Estevan Soares

Produtora: Rhaissa Gonçalves

Produtores executivos: Rhaissa Gonçalves e Lucas Estevan Soares

Diretor de fotografia: Eduardo Ribeiro

Diretora de arte: Mariana Pires

Diretor de som: Gustavo Andriewiski

Trilha sonora original: Lucas Estevan Soares, Jotta Valiente e Gustavo Andriewiski

Elenco principal: Lucas Estevan Soares (Fernando), Wawa Black (Dinho), Ana de Ferro (Andressa), Paulo Matos (Lau) e Wagner Jovanaci (Gomes)



*Todos os artigos publicados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não expressam a linha editorial do portal e de seus editores.

Compartilhe este artigo
Seguir:
"Desconfie do destino e acredite em você. Gaste mais horas realizando que sonhando, fazendo que planejando, vivendo que esperando porque, embora quem quase morre esteja vivo, quem quase vive já morreu. Sarah Westphal