Três tipos de depilação a laser: Diodo, ND-YAG e Alexandrite, qual escolher?

Ana Silva
Ana Silva
6 min. para leitura
Três tipos de depilação a laser: Diodo, ND-YAG e Alexandrite, qual escolher?

A depilação a laser facilmente se popularizou por conta da alta procura para eliminação por tempo prolongado e quase definitiva dos pelos, além das flexibilizações para realização do pagamento. Atualmente, no mercado, existem diversos tipos de marcas de equipamento lasers, oferecendo os três tipos existentes para os serviços de depilação a laser, cada um com finalidades distintas. “O comprimento da onda, que diferencia os tipos de laser, são recomendados para estilos de peles específicos, gerando resultados mais rápidos e satisfatórios dependendo do seu uso”, esclarece a especialista Regina Jordão, fundadora e CEO da rede de franquias Pello Menos, pioneira nos serviços de depilação à cera indolor e sem hora marcada no Brasil. Confira os diferenciais de cada um deles:

Diodo

Esse laser é uma das tecnologias preferidas na depilação definitiva. É indicado para pessoas com a pele morena clara e pelos escuros, com comprimento de onda de 810 nm (nanômetros), por ser considerado intermediário e um dos mais comuns existentes no mercado. “A tecnologia de Diodo funciona a partir da emissão de um feixe de luz pura, concentrada e intensa, que é absorvida pela melanina e apresentando dispersão mínima, motivo pelo qual proporciona resultados altamente eficientes. Além disso, conta com recurso de resfriamento que proporciona uma sessão de depilação menos dolorosa”, explica Regina.

Entre as vantagens da utilização dessa tecnologia estão o alto índice de eficácia na eliminação duradoura dos pelos; auxílio no clareamento da pele; aplicação praticamente em todo o corpo, inclusive no rosto; sessão mais confortável devido à tecnologia de resfriamento da ponta do aparelho; amenização do surgimento de foliculite na área tratada; e melhora da textura e aspecto da pele.

ND-YAG

O laser ND-YAG é a tecnologia indicada para atender peles negras. É uma tecnologia com o maior comprimento de onda (1064 nm) e, consequentemente, o mais potente de penetração entre todas as opções de laser disponíveis no mercado. Por esse diferencial, é utilizado para outras finalidades, como em tratamentos de peeling, varizes e cicatrizes, até remoção de tatuagens, manchas e redução de olheiras. “O funcionamento deste laser na depilação ocorre por meio da atração pela hemoglobina, proporcionando resultados eficazes também em peles negras. O feixe de luz vai cauterizar o vaso sanguíneo responsável pela irrigação do folículo piloso, logo, danifica os pelos fazendo-os cair”, explica Regina.

Entre as vantagens da utilização deste tipo de laser estão a segurança de sua aplicação na pele negra, pois seu feixe de luz não procura a melanina como meio de condução da luz para atingir o folículo; menor efeito inflamatório, portanto, não produz queimadura térmica; alta capacidade de penetração na derme; menor risco de complicações; aplicação em várias regiões do corpo e rosto; e auxílio no clareamento de manchas.

Alexandrite

Uma das tecnologias mais utilizadas no mercado, com eficiência maior em pessoas com pele bem clara, pelos claros. O funcionamento se dá através de disparos de laser que buscam a melanina presente e, com isso, geram um dano térmico no folículo, destruindo ou retardando sua capacidade de gerar um novo fio. “De todos os tipos de laser presentes no mercado, o de Alexandrite conta com o menor comprimento de onda, com 755 nm”, afirma.

Entre as vantagens da utilização dessa tecnologia estão a capacidade de destruir o pelo sem danificar a pele ao redor; sistema de resfriamento na ponta que deixa a área a ser depilada gelada, proporcionando um procedimento mais confortável; boa e profunda penetração na derme; contribuição para o estímulo de colágeno na pele; e facilidade em uso em várias partes do corpo e rosto.

Período do tratamento a laser

Apesar da alta eficácia em eliminar os pelos de forma duradoura, independente da tecnologia, é preciso manter uma regularidade no tratamento, sendo necessário entre oito a dez sessões para que todos os pelos sejam atingidos na fase anágena (etapa de crescimento do fio do pelo). Porém, já é possível observar excelentes resultados logo nas primeiras sessões. “Ao final do tratamento com as tecnologias, cerca de 80% dos pelos serão eliminados de forma duradoura, sendo necessário realizar sessões de manutenção de seis em seis meses, ou até uma vez ao ano”, recomenda a especialista.

Atenção aos cuidados antes e depois da depilação a laser para evitar danos à pele:

  • Não se expor ao sol na semana que antecede o procedimento;
  • Evite exposição solar nas 48 horas que sucedem a sessão. Quando se expor, não se esqueça do protetor solar;
  • Use loções calmantes, como a de aloe vera, por exemplo, após o procedimento para ajudar na recuperação da pele;
  • Evite roupas muito apertadas logo após o procedimento.


*Todos os artigos publicados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não expressam a linha editorial do portal e de seus editores.

Compartilhe este artigo
Por Ana Silva
Seguir:
"Acredite em si próprio e chegará um dia em que os outros não terão outra escolha senão acreditar com você. Cynthia Kersey Bem, isso resume meu 2022 :)