Transtornos mentais em crianças na pandemia preocupam pais e especialistas

Ana Silva
Ana Silva
5 min. para leitura
Transtornos mentais em crianças na pandemia preocupam pais e especialistas

Os impactos da pandemia da Covid-19 atingem profundamente o bem-estar emocional das famílias, de maneira geral. As crianças, embora se mostrem menos suscetíveis ao contágio pelo vírus, estiveram, como todos, expostas ao turbilhão de mudanças provocadas pela crise sanitária. O reflexo sobre o comportamento dos menores tem sido percebido em casa e relatado aos profissionais de saúde.

No ano passado, particularmente, a Care Plus registrou um aumento exponencial na busca pelos serviços do Programa Mental Health. Em março de 2021 a demanda cresceu 96% em relação ao mesmo período de 2020. Nesse universo, 46% dos acionamentos relativos à pandemia apontavam solicitações ou orientações a respeito de relações familiares.

“As queixas relativas ao sofrimento infantil foram frequentes, trazidas pelas figuras parentais”, diz Ana Paula Martins, coordenadora de psicologia da Care Plus. “Muitas dúvidas e aflições estiveram associadas à fadiga frente às aulas on-line, situações de aumento ou diminuição significativa do apetite, alterações no padrão do sono, irritabilidade, regressão, ansiedade, crises de choro e agressividade de crianças e adolescentes”, acrescenta.

A vacinação avança e reduz a gravidade dos casos em todas as idades, é fato, mas ainda não acaba com a pressão sobre a saúde mental. Afinal, as medidas para mitigação da transmissão da Covid-19, como o uso de máscara e o isolamento social, estão longe de serem suspensas, enquanto houver riscos de novas cepas do vírus.

A psicóloga Ana Paula Martins salienta que ao observar nos filhos sinais de sofrimento ou mudanças comportamentais importantes, é fundamental iniciar o mais breve possível o suporte psicológico especializado. O diagnóstico deve considerar que parte do sofrimento possivelmente está associada às condições impostas pela pandemia, e não necessariamente a uma doença de base.

De acordo com dados do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), pelo menos uma em cada sete crianças no mundo foi afetada por lockdowns. A ruptura das rotinas relacionadas à educação e recreação, a preocupação com a renda familiar e com a saúde são fatores apontados para a sobrecarga emocional de crianças, adolescentes e jovens.  O relatório The State of the World’s Children 2021; On My Mind: Promoting, Protecting and Caring for Children’s Mental Health alerta ainda para o risco do impacto da Covid-19 na saúde mental dessa fatia da população perdurar por muitos anos.

As recomendações em prol do bem-estar emocional infantil e juvenil, feitas pela coordenadora de psicologia da Care Plus, apoiam-se em três pilares:

Limites para o uso de tecnologia

A exposição excessiva às telas prejudica a socialização e altera condições como postura e visão. Durante refeições em família, por exemplo, é importante desligar o celular. Na hora de dormir, também deve ser evitado. “O uso do aparelho interfere na qualidade do sono”, explica a psicóloga. “O sono de má qualidade é um dos gatilhos para instalação de sofrimento emocional.”

Promoção de atividades físicas

Preferencialmente ao ar livre, contribuem para redução do estresse e da ansiedade, além de favorecerem a autoestima, funções cognitivas e de socialização. “É contraditório restringir o acesso às redes sociais, impor limites de horários para uso de celular e não promover para uma rotina saudável de atividades físicas para a família”, acrescenta Ana Paula Martins.

Cuidados extensivos aos pais 

A família, de maneira geral, precisa de momentos de descompressão e autocuidado. “Nesta fase de pandemia, especialmente desestabilizadora para adolescentes, a mediação dos pais é frequentemente exigida para fazer frente às oscilações de humor dos filhos”, diz a psicóloga. “Os adultos também precisam reservar um tempo para exercícios de autopercepção e relaxamento.”

A Care Plus mantém o Programa Mental Health, um serviço que oferece o modelo de atendimento focado no equilíbrio emocional de seus beneficiários. Disponível durante 24 horas por dia, sete dias por semana, oferece tratamento com profissionais de diferentes especialidades, de acordo com a necessidade do beneficiário. De modo totalmente humanizado e acolhedor, focado no equilíbrio emocional para auxiliar em momentos de sensibilização.

Além disso, a operadora premium tem investido em outras iniciativas que visam contribuir para o conhecimento, a desmistificação de doenças mentais e o acolhimento de pacientes, como a promoção e patrocínio de workshops e debates – foi patrocinadora do painel sobre Saúde Mental do Summit do Estadão, realizado em outubro de 2021.

 

Sobre a Care Plus

Care Plus faz parte da Bupa, que tem presença em mais de 190 países. Há 30 anos, fornece soluções de saúde premium, por meio de uma ampla gama de produtos (medicina, odontologia, saúde ocupacional e medicina preventiva). É a principal operadora de saúde no Brasil em seu nicho de mercado, atendendo a mais de mil empresas e cerca de 195 mil beneficiários.

 

Referência

The State of the World’s Children 2021; On my mind: Promoting, Protecting and Caring for Children’s Mental Health. Disponível em https://www.unicef.org/reports/state-worlds-children-2021?utm_source=referral&utm_medium=media&utm_campaign=sowc-web. Acesso em 4 jan./2021.



*Todos os artigos publicados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não expressam a linha editorial do portal e de seus editores.

Compartilhe este artigo
Por Ana Silva
Seguir:
"Acredite em si próprio e chegará um dia em que os outros não terão outra escolha senão acreditar com você. Cynthia Kersey Bem, isso resume meu 2022 :)