Thathi lança o clipe "Amor de passarinho" nesta sexta-feira (3)

A cantora e compositora, Thathi lança o videoclipe “Amor de passarinho” amanhã, dia 3, às 11h. O vídeo completa a trilogia do amor, que vem sendo apresentada desde o lançamento do álbum “Tudo que já Estava Escrito”, divulgado nas principais plataformas de áudio no dia 20 de maio.

Com direção de Ana Valente, os clipes são inspirados na Trilogia das Cores, de Krzysztof Kieślowsk. Na obra do cineasta polonês, cada parte possui um visual diferente, partindo das cores da bandeira da França: vermelho, azul e branco. A partir desta referência, a diretora brasileira trouxe para o universo de Thathi, usando as cores, pois são as mesmas da bandeira do estado da Bahia, onde a artista nasceu.

Desse modo, o primeiro lançamento foi “Sexta-feira”, faixa que abre o álbum. Neste trabalho, o vermelho foi a cor predominante, narrando uma história de o amor.

https://www.youtube.com/watch?v=S-N57LSZ2to

Na sequência, estreou “Contando as Estrelas”, com o tom azul, que combina com a música leve e alto-astral. A trilogia se encerra nesta sexta-feira, 3, com “Amor de passarinho”, na cor branca, para reforçar que o amor é livre.

https://www.youtube.com/watch?v=WdOl1P2afFc

“Durante o clipe, estou na companhia de passarinhos. Meus olhos passam na partitura acompanhando exatamente a música, é como se eu tivesse cantando a música que acabei de compor”, exalta Thathi.

O Álbum

Thathi lançou o 3º álbum da carreira: “Tudo que já Estava Escrito”. Ao todo, o novo trabalho traz 12 canções, sendo cinco inéditas, e as participações especiais: Herbert Vianna, Flavio Venturini e Isabella Taviani. Para ouvir: https://midasmusic.ffm.to/tudoquejaestavaescrito

A faixa “Não Sei Se Te Contei”, por exemplo, conta com a presença de Herbert Vianna (Os Paralamas do Sucesso), sendo o primeiro feat de um dos maiores compositores do país em mais de 20 anos.

A parceria é fruto de um encontro inusitado em uma loja de instrumentos musicais no Rio de Janeiro. Herbert ouviu um riff de guitarra, que até então a desconhecida Thathi improvisava ali, e se aproximou. A conexão foi imediata!

Os dois conversaram e tocaram por aproximadamente duas horas, com direito a Jimi Hendrix e outras referências na Jam Session. O sentimento desse encontro resultou em uma parceria no estúdio, com direito a frase de Dona Canô (mãe de Caetano Veloso e Maria Bethânia) na letra.

Em “Por Mais”, Thathi convida uma das suas principais influências musicais: Flavio Venturini. Juntos, passam a mensagem de que é necessário amar e acreditar cada vez mais naquilo que fazemos.

“Lembro da emoção que foi ouvir pela primeira vez a voz do Flavio Venturini nessa canção. Um sinal de que a música gosta muito de mim e através dela eu posso deixar o meu recado para o mundo”, relembra.

A cantora Isabella Taviani, que participa da faixa “Igual Não Tem”, completa o time de artistas convidados. As faixas na ordem de execução: “Sexta-feira”, “Contando as Estrelas”, “Amor de passarinho”, “Por mais”, “A vida da gente”, “Raiou”, “Quando o Verão Chegar”, “Não sei se te contei”, “Porque te amo”, “Igual Não tem”, “Amor em Nós” e “Um Dia A Mais”.

A princípio, o novo álbum seria uma extensão do EP “Tudo que já Estava Escrito Sobre Amor”, lançado em 2018, mas como a vida é uma “Roda Gigante”, inclusive é uma das faixas do EP que divide com Saulo que se aproxima da marca de 4,5 milhões de players somente no Spotify, a pandemia interrompeu não somente os planos da cantora, mas de milhares de pessoas ao redor do mundo.

Entretanto, como Thathi canta em “Um Dia A Mais”, faixa inédita que encerra o álbum, tudo tem a hora certa para acontecer. “A natureza ensina que tudo tem o seu momento certo pra acontecer. Eu acredito nisso! O que não quer dizer que eu fique parada esperando as coisas acontecerem. Eu sigo o fluxo, estou sempre em movimento, seguindo minha intuição. Piso firme nas linhas que estão nas palmas de minhas mãos, meu sonho é forte e sou resiliente”, comenta.

SOBRE THATHI
Baiana de Feira de Santana, é cantora, compositora, guitarrista, multi-instrumentista. Com uma vida dedica à música, iniciou aos 7 anos de idade em uma banda infantil e seguiu carreira. Dona de uma extensa discografia, já gravou com grandes nomes da música e realizou shows por diversos lugares do país, além de algumas apresentações internacionais.  Gravou o 1º disco em Salvador:  “Thathi Por Cima”.

Já o segundo CD foi gravado no Rio de Janeiro. Nesse trabalho autoral, onde, além mostrar seu talento para as composições, surpreendeu como musicista (gravou todas as guitarras e violões do álbum), além de assinas a direção musical, em parceria com Robertinho de Recife.

Thathi foi elogiada por renomados produtores e diretores artístico-musicais como Marcos Maynard, Cacá Silveira, Guto Graça Melo e Luiz Gleiser. Dessa admiração, surgiu o convite para a gravação do Som Brasil (conceituado programa musical da Rede Globo) em homenagem à Música Baiana, no qual destacou-se com sua pluralidade e excelência na execução e arranjos. Nesse mesmo ano, Thathi estreou um projeto no Carnaval da Bahia para resgatar e inovar com sua guitarra baiana.

No final de 2014, Thathi lançou um EP com as canções como “Na Sua” (Thathi e Luiza Possi), “Sujeito Imperfeito” com participação da Isabella e “Face Falsa do Amor”, todas autorais.  Em 2016 e 2017, Thathi fez a turnê do show “Não Sei Se Te Contei” por diversas cidades em todo o Brasil e algumas apresentações nos EUA.

Em 2018 a cantora participou ao lado de Gilberto Gil da conceituada Lavage de Madeleine em Paris. Thathi lançou o single “Recomece”, parceria com o poeta Bráulio Bessa (que entrou nas 50 Virais e tem quase 4 milhões de plays no Spotify) e o EP “Tudo Que Já Estava Escrito Sobre O Amor” que já tem mais de 8 milhões de streams. Nesse projeto, trouxe as participações especiais de Ana Vilela e Saulo Fernandes (em “Roda Gigante” que tem 4.5 milhões de streams e também esteve nas 50 Virais do Spotify).

Ainda no mesmo ano, Thathi foi contratada pela Gravadora Midas Music, do renomado produtor musical Rick Bonadio e entre seus últimos lançamentos está o projeto audiovisual “Microfonado”, com 3 canções produzidas e dirigidas pelo próprio Rick.

No ano de 2019, Thathi tirou da gaveta um projeto que ela vinha idealizando há algum tempo: o “Mulheres Que Tocam”, com a proposta de ser um canal de divulgação e projeção das carreiras de mulheres instrumentistas e com o objetivo de valorizar o protagonismo da mulher no mercado musical.
Em maio de 2022, escreve um novo capítulo da carreira com o lançamento do álbum “Tudo que já Estava Escrito”, com participações especiais de Flávio Venturini, Isabella Taviani e Herbert Vianna.

Acompanhe o trabalho da artista pelo instagram: @thathi


*Todos os artigos publicados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não expressam a linha editorial do portal e de seus editores.

Ana Silva
"Acredite em si próprio e chegará um dia em que os outros não terão outra escolha senão acreditar com você. Cynthia Kersey Bem, isso resume meu 2022 :)