Testes para detecção de síndromes gripais podem evitar disseminação de doenças no final de ano

Angelo Peterson
Angelo Peterson
2 min. para leitura
Testes para detecção de síndromes gripais podem evitar disseminação de doenças no final de ano

A exigência do resultado negativo para a Covid-19 e do cartão de vacina para viajar e entrar em festas, criou uma maior necessidade de realização dos exames que detectam infecção por algum vírus. A medida visa controlar o contágio e a proliferação das doenças em locais com grande quantidade de pessoas, onde a probabilidade de contaminação é maior.

Dados da Associação Brasileira de Medicina Diagnóstica (ABRAMED) apontaram que no primeiro semestre de 2021, as realizações dos exames em laboratórios particulares para identificar infecção por Covid-19 somaram 8,4 milhões no Brasil.

Com o surgimento de casos de contaminação também pela H3N2, a preocupação com a saúde aumenta. Em Salvador, de acordo com a Prefeitura, os casos da gripe pela Influenza A cresceram cerca de 1380% em 14 dias, colocando a cidade em um cenário de pré-epidemia.

Neste cenário, o diretor executivo do Laboratório CLABDr. Clóvis Figueiredo explica que o paciente com sintomas gripais deixa o diagnóstico sem o exame laboratorial mais difícil. Por isso a necessidade de realizar uma testagem mais completa, que consiga identificar com uma única amostra, a presença das Influenza A (H1N1, H3N2), Influenza B e SARS-coV2, de forma rápida e precisa.

“No CLAB essa testagem é realizada com o exame imunocromatográfico antígeno utilizando o cotonete swab. Esse método além da rapidez nos resultados, que saem em até 2 horas, é o mais indicado por conseguir identificar tanto infecção pelo corona-vírus quanto por influenzas com uma única coleta”, explica.

Atento às necessidades da sociedade, principalmente neste período de pandemia e pré-epidemia, o diretor executivo, afirma ainda que o exame laboratorial visa reforçar a segurança e diminuir o número de contágios. Desta forma é possível controlar o avanço do vírus, além de ser fundamental no planejamento da compra de insumos e contratação de leitos no sistema de saúde.

“Essa é uma outra forma de minimizar a disseminação, visto que a pessoa detectada positivamente evitará o contato com as demais, protegendo aquele grupo que tem contato e outros grupos que pode haver eventuais contatos”, frisa



*Todos os artigos publicados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não expressam a linha editorial do portal e de seus editores.

MARCADO:
Compartilhe este artigo
Seguir:
"Desconfie do destino e acredite em você. Gaste mais horas realizando que sonhando, fazendo que planejando, vivendo que esperando porque, embora quem quase morre esteja vivo, quem quase vive já morreu. Sarah Westphal