Seis dicas para sair das dívidas mesmo ganhando pouco

Ana Silva
Ana Silva
4 min. para leitura
Seis dicas para sair das dívidas mesmo ganhando pouco

Uma das coisas que mais deixam as pessoas aflitas é saber que está endividado e não conseguir reverter essa situação que é comum entre os brasileiros. Segundo dados da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), 76,6% da população brasileira está endividada, sendo que 27% estão com dívidas em atraso. Diversas situações contribuem para isso, como falta de dinheiro ou de organização financeira.

Pensando nisso, Marc Lahoud, CEO da QueroQuitar, plataforma especializada em negociação de dívidas e acordos entre credores e devedores, listou seis dicas que prometem ajudar as pessoas a reverter esse jogo e conseguir honrar seus pagamentos. “O que deve ser feito é se organizar para colocar as contas em dia, maneirar no cartão de crédito e fazer boas negociações”, comenta o especialista.

1 – Tenha controle de todos os gastos

Para começar a organizar suas finanças, anote todos os seus gastos em uma planilha, caderno ou aplicativo. “Além dos gastos fixos mensais (aluguel, água, luz, internet, gás, entre outros), inclua também as dívidas antigas que não está conseguindo pagar. Assim você tem uma base real de quanto entra, em valor líquido, e de quanto sobra depois de pagar as contas”, comenta o especialista.

2 – Corte os gastos desnecessários

Não gaste com o que não é realmente necessário. Principalmente no início, até que as finanças estejam organizadas e em dia. Reveja contas como plano de celular, procure um mais em conta; TV por assinatura ou serviços de streaming, analise se todos estão sendo utilizados.

3 – Coloque um limite mensal para gastos com lazer

Se você costuma sair com os amigos toda a semana, reduza para duas vezes ao mês. Diminua ida a cinema, restaurantes ou viagens. “Aqui a dica é diminuir, não cortar todo o lazer. Se privar de toda diversão ou entretenimento pode te deixar estressado e esse não é o objetivo”, comenta Lahoud.

4 – Tenha menos cartões de crédito

Os cartões de crédito são uma das piores armadilhas para quem não é organizado. Ter mais de um, pode dar a falsa sensação de gastar pouco, pois não dá para ter um controle real de tudo que está sendo gasto. No fim do mês, aqueles pequenos gastos se juntam podendo virar uma bola de neve. O ideal é ter apenas um cartão com limite mais baixo, assim fica mais fácil controlar e saber onde e com o que o dinheiro está sendo utilizado.

5 – Procure uma renda extra

Se as contas estão apertadas e está difícil fechar o mês no azul, o melhor a fazer é conseguir uma renda extra. Atualmente, existem diversas maneiras de conseguir isso, como: fazer comida para vender online, ser motorista de aplicativo, ensinar algo que você domine, entre outros.

6 – Renegocie as dívidas 

Com as contas organizadas vai ficar mais fácil separar uma quantia mensal para o pagamento de dívidas antigas. “Com o valor definido e sabendo quanto pode utilizar por mês, fica mais fácil fazer acordos com mensalidades que cabem no bolso. Hoje em dia as plataformas digitais de negociação de dívidas, como a QueroQuitar, oferecem descontos que podem passar de 90%, facilitando para o devedor e ajudando-o a recuperar seus créditos e a se tornar um consumidor mais sustentável”, finaliza Lahoud.



*Todos os artigos publicados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não expressam a linha editorial do portal e de seus editores.

Compartilhe este artigo