Seduc e Sesau reafirmam essencialidade da Educação em reunião com o Sispec

Ana Silva
Ana Silva
4 min. para leitura
Seduc e Sesau reafirmam essencialidade da Educação em reunião com o Sispec

O retorno das aulas presenciais e a eficiência do protocolo sanitário adotado com o intuito de garantir a segurança da comunidade escolar voltaram a ser temas de reunião entre as secretarias da Educação (Seduc) e da Saúde (Sesau) e o Sindicato dos Professores e Professores da Rede Pública Municipal de Camaçari (Sispec), na tarde desta segunda-feira (7/2), na sala de reuniões da Secretaria de Governo (Segov).

O encontro ocorreu em resposta a um ofício emitido pelo Sispec, através do qual propôs a suspensão das aulas presenciais durante esta semana, indicando que este período fosse destinado a uma mobilização para a vacinação de crianças e adolescentes em idade escolar. Durante a conversa, a Sesau apresentou dados que mostram queda na taxa de contaminação por coronavírus em Camaçari e enfatizou a importância da retomada da oferta do ensino na escola, reforçando os motivos pelos quais a Educação é um serviço essencial.

A reunião entre profissionais dos órgãos e da entidade representativa resultou em avanços na dinâmica de identificação de casos da Covid-19 em servidores públicos municipais da Educação. Participaram da mesa de diálogo, a secretária da Educação, Neurilene Martins; o secretário da Saúde, Elias Natan; a presidenta do Sispec, Márcia Novaes; além de integrantes da equipe técnica de ambas as pastas.

Na ocasião, a Sesau ressaltou a essencialidade do serviço de educação, motivo pelo qual incrementou avanços no protocolo já instaurado. Dentre as medidas adicionadas, está a extensão, para os professores e demais profissionais que atuam nas escolas, do mesmo fluxo de testagem rápida que atualmente é ofertado aos servidores da Saúde que operam na linha de frente do combate à Covid-19 e variantes.

“A nossa proposta é de intensificação deste monitoramento, no mesmo fluxo de testagem rápida que ocorre com os servidores da Sesau. Fizemos esse ajuste por entender que a Educação também é um serviço essencial e que, assim como a Saúde, sua oferta não pode ser interrompida”, declarou o secretário Elias Natan, acrescentando que o cenário epidemiológico também se mostra otimista, com estabilidade na redução da taxa de contágio, da ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e de registros de óbito.

A secretária da Educação ressaltou a importância da manutenção do diálogo e destacou o fato de que a oferta de educação, com qualidade e segurança, é do interesse de todos. “Não há melhor ambiente de mobilização para conscientizar da importância da vacina do que a própria escola. A sala de aula deve ser o principal palco dessa campanha”, declarou, informando que os professores poderão comunicar o surgimento de sintomas através de uma ficha que deverá ser enviada para o gestor escolar e para a Sesau. “Agora também teremos uma ação direcionada para os sintomáticos. É com a construção de uma inteligência focada na resolução dos problemas que iremos avançar”, concluiu Neurilene.

A presidente do Sispec fez uma avaliação do encontro, afirmando que, embora o pleito inicial não tenha se concretizado, a iniciativa gerou ações agregadoras. “O resultado não foi exatamente o que gostaríamos, pois nossa proposta era de suspensão das aulas, mas entendo que passar a ter esse contato direto com a Sesau, com encaminhamento para exame de forma agilizada, foi um avanço importante”, afirmou Márcia Novaes. O ofício foi encaminhado à Seduc na sexta-feira (4/2), um dia após o retorno oficial das aulas da rede municipal em formato 100% presencial.

Foto: Josué Silva



*Todos os artigos publicados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não expressam a linha editorial do portal e de seus editores.

Compartilhe este artigo