Ransomwares continuam causando prejuízos em 2022, saiba como evitá-los!

Ana Silva
Ana Silva
3 min. para leitura
Ransomwares continuam causando prejuízos em 2022, saiba como evitá-los!

O ano de 2022 mal começou e já estão acontecendo os primeiros casos de ataque hacker em grandes organizações. Um exemplo disso foi o ocorrido ontem, com a Gafisa, empresa do mercado imobiliário, que sofreu um ciberataque do tipo ransomware.

ransomware é um tipo de malware que “sequestra” dados importantes, restringindo o acesso a arquivos e informações de um sistema por meio de criptografia. Empresas são o principal alvo dos cibercriminosos que, ao realizarem o ataque, exigem quantias milionárias para o resgate, geralmente em criptomoeda.

De acordo com o último relatório do FBI, o Internet Crime Complaint Center (IC3), os ataques de ransomware estão cada vez mais frequentes. Em 2020, foram cerca de 2.474 incidentes relatados, o que significou uma perda total de vítimas de mais de US$ 29 milhões. Isso representa um aumento de quase US$ 9 milhões e 2.047 incidentes em comparação a 2019 e US$ 3,6 milhões e 1.493 incidentes em 2018. Os números divulgados podem ser considerados tímidos, uma vez que não contabilizam os prejuízos decorrentes das interrupções de serviços e somam apenas as denúncias registradas pelo órgão.

Para falar sobre ransomware, as características desse tipo de ataque e como evitá-lo, os especialistas do CAIS, Centro de Atendimento a Incidentes de Segurança da RNP estão à disposição para entrevistas sobre o tema.

Segue abaixo um breve resumo sobre as organizações:

Sobre a RNP

Somos a rede brasileira para educação e pesquisa. Disponibilizamos internet segura e de alta capacidade, serviços personalizados e promovemos projetos de inovação.

Nosso sistema inclui universidades, institutos educacionais e culturais, agências de pesquisa, hospitais de ensino, parques e polos tecnológicos. Com isso, beneficiamos 4 milhões de alunos, professores e pesquisadores brasileiros.

Ajudamos a trazer a internet para o Brasil e hoje nossa rede chega a todas as unidades da federação. Também estamos conectados às demais redes de educação e pesquisa na América Latina, América do Norte, África, Europa, Ásia e Oceania por meio de cabos de fibra óptica terrestres e submarinos.

Somos qualificados como uma organização social vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) e mantida por esse, em conjunto com os ministérios da Educação (MEC), das Comunicações (MCom), Turismo (Mtur), Saúde (MS) e Defesa (MD), que participam do Programa Interministerial RNP (PRO-RNP).

Sobre o CAIS

O Centro de Atendimento a Incidentes de Segurança (CAIS) é a equipe de tratamento de incidentes em redes (ETIR) da rede acadêmica brasileira. Em atuação desde 1997, o CAIS foi um dos pioneiros no setor brasileiro.



*Todos os artigos publicados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não expressam a linha editorial do portal e de seus editores.

Compartilhe este artigo