Prefeitura de Lauro de Freitas articula cooperativas para minimizar transtornos causados pela paralisação dos rodoviários

Ana Silva
Ana Silva
2 min. para leitura
Prefeitura de Lauro de Freitas articula cooperativas para minimizar transtornos causados pela paralisação dos rodoviários

Com a paralisação de rodoviários de sete empresas da Região Metropolitana de Salvador (RMS), iniciada de surpresa nesta quinta-feira (17), a Prefeitura de Lauro de Freitas, por meio da Secretaria Municipal de Trânsito, Transporte e Ordem Pública (Settop), acionou imediatamente as cooperativas que fazem o transporte público no município para aumentar a frota e atender as demandas da população. Logo no início desta manhã, 54 veículos reservas de duas cooperativas, a Coopelotação e a TRANSLAUF, foram distribuídas no sistema municipal de transporte para minimizar os problemas ocasionados pela paralisação.

Ainda para mitigar o problema da falta de circulação de ônibus que fazem ligação entre os municípios da RMS, a Settop está avaliando, neste momento, a possibilidade de o transporte escolar dar suporte ao sistema municipal nas demandas locais. A Secretaria reforça que está empenhada na solução do problema em Lauro de Freitas e que se soma à Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos de Energia, Transportes e Comunicações da Bahia (Agerba), para mediar a reivindicação do Sindicato dos Rodoviários. A entidade pede a incorporação dos contratados da BTM em outras empresas rodoviárias da RMS.

A Settop se solidariza com os rodoviários que tiveram seus postos de trabalhos afetados e informa que o Governo do Estado deve se reunir, ainda hoje, com o Sindicato e partes interessadas para negociações. No município de Lauro de Freitas, a Secretaria destaca que só as cooperativas estão autorizadas a fazer o transporte público. A Settop também identificou que o uso de transporte por aplicativo triplicou no início da manhã, entre às 6h e 8h, horário de maior pico e busca por alternativas da população. A partir das 9h30 desta quinta-feira (17), já foi possível constatar uma normalização da demanda por transporte público.



*Todos os artigos publicados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não expressam a linha editorial do portal e de seus editores.

Compartilhe este artigo