Para suprir apagão na área de TI, empresas oferecem formação e capacitação para novos profissionais
Emprego na área de TI

O setor de tecnologia vem enfrentando um de seus maiores desafios: o déficit de profissionais especializados. Mesmo com a alta demanda nos dois últimos anos, resultante do aumento do número de pessoas em home office e empresas investindo cada vez mais na inovação de recursos tecnológicos, o mercado de TI ainda encara um problema sério de falta de mão de obra qualificada.

Para se ter uma ideia, de acordo com a pesquisa anual Agenda da Consultoria Deloitte, que indica as prioridades de líderes empresariais no setor de negócio no Brasil, a enorme defasagem de profissionais qualificados no setor é extremamente preocupante. Segundo a Agenda 2022, 96% dos empresários têm como investimento prioritário o treinamento e formação de funcionários, porém de acordo com Márcia Ogawa, líder de Tecnologia, Mídia e Telecomunicações da Deloitte, a maioria dos profissionais treinados logo saem da empresa por receberem melhores ofertas, até mesmo fora do país, mostrando a necessidade do investimento e permanência de funcionários em empresas brasileiras.

Pensando na necessidade imediata de mão de obra dentro do setor, diversas empresas que atuam em diferentes áreas da tecnologia viram como uma solução criar seus próprios programas de formação de novos profissionais, visando suprir a demanda da área, que vai desde engenharia de software, programador de web, robótica até segurança da informação.

Confira uma lista de empresas que já vêm atuando de forma bastante ativa com programas especializados de educação. Alguns deles, não exigem nem graduação na área, apenas o interesse em aprender.

Prime Control

A empresa possui um programa de capacitação em tecnologia focado na iniciação da área de TI. Qualquer pessoa pode participar. Desde 2018, o objetivo do programa é capacitar, selecionar e fortalecer o potencial das pessoas com vontade de aprendizado tech, sejam elas iniciantes ou em transição de carreira.

Além de ter um objetivo claro de utilizar talentos, a empresa também quer formar um mercado tech cada vez mais forte, pois seus executivos entendem que toda a cadeia dependente dessa mão de obra se beneficia, gerando um ambiente mais confiável.

O programa é dividido em duas fases: capacitação, tendo duração de 2 semanas (35 horas), com aulas online de segunda a sexta-feira das 18h30 às 22h, através da plataforma Teams; e treinamento on the job, com experiência prática para todos os participantes que tiverem 70% de participação. No final do curso, todos recebem um certificado de participação e têm a possibilidade de enviar o seu currículo para participar do processo de acompanhamento pela área de Recrutamento & Seleção, que avalia se o perfil e conhecimentos adquiridos são aderentes aos projetos atuais da empresa. Caso contrário, estes profissionais são indicados a parceiros da empresa que possam ter outras necessidades com seus projetos. Os profissionais selecionados são contratados no regime CLT, no cargo de auxiliar de TI, e seguem um cronograma de capacitação e avaliação dentro das operações nos primeiros 30, 60 e 90 dias. Após esse período, aqueles que tiveram uma boa performance são alocados nos projetos com os clientes da Prime Control.

Em 2021, foram 621 certificados entregues e 32 contratações. Já em 2022, o programa se encontra em fase de término de sua primeira edição e com mais de 500 inscritos. As triagens e acompanhamentos estão acontecendo com o intuito de aproveitar perfis e entregar ao mercado pessoas mais capacitadas. O impacto social fica claro com os números acima.

Escola da Nuvem

Pensando na necessidade de capacitação e contratação de jovens que desejam ingressar no mercado e tecnologia, o então CEO da BRLink, Rafael Marangoni, em parceria com outros executivos, desenvolveu o projeto Escola da Nuvem. Unindo-se a outras empresas de tecnologia, o projeto colocou em prática o propósito de levar conhecimento a jovens em vulnerabilidade social.

A Escola da Nuvem é uma organização sem fins lucrativos, que tem como objetivo preparar estudantes para carreiras na nuvem e conectá-los a empregadores potenciais. Sendo completamente gratuita, é patrocinada por empresas parceiras, visando a democratização do acesso à informação e viabilizar oportunidades reais de empregos e salários acima da média nacional.

São diversos cursos que podem ser acessados em sua plataforma, possuindo modalidade self-paced com aulas gravadas e fóruns para tirar dúvidas, como também aulas ao vivo.

O curso pode ser acessado na plataforma da Escola da nuvem: https://www.escoladanuvem.org/cursos/.

Conviso

Visando conscientizar o mercado sobre a importância da segurança de aplicações, a empresa disponibiliza gratuitamente o AppSec Starter, curso gratuito voltado para quem quer aprender sobre AppSec.

O programa foi criado para propiciar a entrada de novos insiders da Conviso em uma cultura de AppSec. Composto por 15 vídeos, ele apresenta conceitos básicos por especialistas da empresa.

Alguns temas abordados são: Modelagem de Ameaças, Owasp Top 10 e Testes de Segurança de Aplicação.

O curso está disponível pelo link: https://blog.convisoappsec.com/treinamento-online-e-gratuito-sobre-seguranca-de-aplicacoes-conheca-o-appsec-starter/

Iteris

Percebendo a necessidade de investimento no mercado de trabalho no Brasil, a Iteris criou o programa de formação de colaboradores em início de carreira, o Hackathon Decola. Trata-se de um programa de estágio que prepara as pessoas para o mercado de trabalho. Até agora, a iniciativa já formou 150 profissionais.

Dentro deste programa há parcerias com ONGs como a Mais1Code, Generation Brazil (que atende pessoas pretas e periféricas), Toti (que atende refugiados e imigrantes) e ONGs que promovem a entrada de mulheres em TI, fazendo parte da estratégia da empresa de impulsionar a democratização do conhecimento para mais pessoas.

A empresa também originou o ITC, um centro de treinamento que integra em apenas uma área todas as iniciativas relacionadas à universidade corporativa, com o propósito de preparar colaboradores para atender as demandas de transformação digital em empresas, formando pessoas em hard e soft skills, desenvolvimento de software e formação de engenheiros. A finalidade é formar profissionais QA, UX&UI e de Agilidade, como também ir além da formação técnica, mirando em liderança, mentoria, gestão de pessoas e team Building.

A segunda edição de 2022 do Hackathon Decola, que deve acontecer no segundo semestre, será divulgada no site oficial: http://www.iteris.com.br/.


*Todos os artigos publicados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não expressam a linha editorial do portal e de seus editores.

Ana Silva
"Acredite em si próprio e chegará um dia em que os outros não terão outra escolha senão acreditar com você. Cynthia Kersey Bem, isso resume meu 2022 :)