Para eu ser feliz no emprego muita coisa tem que mudar…

Ana Silva
Ana Silva
5 min. para leitura
Para eu ser feliz no emprego muita coisa tem que mudar...

*por Sérgio Rocha Lima

Para medirmos esta tal felicidade no emprego, temos que pensar em um primeiro momento que esta reposta está dentro de cada indivíduo. Tudo é uma questão de como estão as nossas emoções e como o ambiente organizacional está contribuindo para esta nossa positividade.

A felicidade no emprego está associada a várias perguntas, em que temos que responder, dentro os quais podemos elencar:

  • O quanto a chefia interfere
  • O quanto o clima empresarial é satisfatório
  • Nossos clientes internos são pessoas competentes
  • Como nossos colegas foram recrutados e selecionados
  • Trabalhamos em um ambiente colaborativo
  • O dono da empresa quando tem lucro, este é dividido entre todos em forma de bônus
  • O empresário investe na meritocracia
  • Minhas atividades são reconhecidas e valorizadas pelo chefe
  • Tenho acesso as decisões estratégicas
  • O empresário utiliza as técnicas de Qualidade de Vida no Trabalho

Em todos os itens acima, para que possamos ter as respostas, devemos avaliar, como está o seu grau de exigência?

Afirmo que em pelo menos um dos itens, você tem sérias restrições, não concorda com as direções tomadas pela empresa e algo tem que mudar.

Com a sua insatisfação, qual é a solução?

Podemos ter duas alternativas e soluções a tomar: a) ou você convive com a insatisfação, “engole sapo” e prejudica a sua saúde, tornando-se menos produtivo; b) ou você toma a decisão radical e corajosa de mudar de vida e mudar de emprego.

Caso a decisão seja de pedir demissão. Será que não estamos mudando o problema de lugar?

Será que em um novo emprego o filme não irá se repetir onde teremos os mesmos problemas e nada se resolverá?

Hoje existe uma grande dificuldade, milhões de indivíduos procuram emprego, ou tentam se recolocar no mercado de trabalho, estão demissionários, da mesma forma que você, ou seja a concorrência é grande para o mercado de trabalho, pois estas pessoas têm os mesmos interesses que você.

E aí, qual o caminho alternativo?

Não ter mais chefe e seguir uma carreira solo, ser o dono da sua própria empresa, empreender, é o caminho mais sensato.

Para entrarmos no mundo dos empreendedores, temos que analisar uma série de fatores, temos que estarmos dispostos a correr riscos calculáveis como também enfrentarmos vários desafios.

Tudo começa pela informação e aquisição de conhecimentos. Com os conhecimentos adquiridos passo a passo, eles irão nos auxiliar a tomar as melhores decisões.

Quem pode nos auxiliar a termos mais conhecimento?

Ter mais conhecimento é o que faz a diferença hoje.

O conhecimento nos torna muito mais competitivos e os nossos negócios diferenciados.

Quem vai nos ajudar será certamente alguém com mais experiência do que nós, que tenha um cabedal de conhecimento invejável e disposto a compartilhar tudo o que sabe.

Onde achar este profissional?

Por onde começar?

Empreender é resolver o problema, a “dor” de outras pessoas através do seu negócio.

Para se associar a um profissional conselheiro, o caminho está primeiramente na busca por este mentor, que pode ser encontrado em quem já escreveu um livro, compartilhando saber ou na busca nas redes sociais para quem oferece esta experiência empreendedora comprovada.

O NEGÓCIO É EMPREENDER!

 

(*) Sérgio Rocha Lima – Professor e empreendedor. Engenheiro de Telecomunicações de formação e Analista de Sistemas pela PUC RJ. É mestre em Educação com Pós-Graduação em Marketing, Recursos Humanos e Complementação Pedagógica. Consultor de Empresas nas áreas de empreendedorismo, planejamento estratégico e inovação tecnológica. Consultor e instrutor do SEBRAE. Experiência de 35 anos, como executivo gerenciando áreas comerciais, operações e técnicas aplicadas à engenharia de telecomunicações e tecnologia da informação (TI) em empresas multinacionais como a Oi, TV GLOBO e NEC. Hoje é CEO da Rocha Lima Consultoria, fundou e desenvolveu uma startup de tecnologia, a “HOME PHONE” e outros negócios como: empresa de treinamento, venda de batata frita, comercialização de rechaud de banho-maria para restaurantes, comercialização de centrais telefônicas para corporações e projetos/ serviços de sistemas de monitoramento e segurança eletrônica, CFTV. Autor do livro “Hoje empregado, amanhã empreendedor”, pela Literare Books International.



*Todos os artigos publicados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não expressam a linha editorial do portal e de seus editores.

Compartilhe este artigo