Mesoterapia: entenda tudo sobre a novidade para a recuperação do cabelo

Ana Silva
Ana Silva
3 min. para leitura
Mesoterapia: entenda tudo sobre a novidade para a recuperação do cabelo

Segundo uma pesquisa da Sociedade Brasileira para Estudo do Cabelo, 42 milhões de brasileiros sofrem de calvície. O que pouco se fala é que o problema, muito comum entre o público masculino, chega atingir até 55% das mulheres até os 70 anos.

“Nas mulheres a calvície aparece geralmente na faixa de 40, 50, 60 anos, observando o cabelo ficando mais ralo, diminuindo o volume e eventualmente começando a cair, principalmente na região frontal,” comenta a cirurgiã plástica Patricia Marques, especialista em tratamentos reparadores de cabeça e pescoço.

Apesar de existirem fatores genéticos que vão causar essa perda naturalmente com a idade, existem alguns hábitos que podem ser prejudiciais para o couro cabeludo mesmo quando se é jovem, que são muito comuns entre as mulheres. “Usar sempre o cabelo preso com coques e rabos de cavalo muito apertados, trocar de cor frequente, assim como uso regular de chapinhas e secadores também diminui a qualidade do fio,” explica.

Foi o caso de uma das famosas irmãs Kardashian, a mais velha Kourtney, que revelou em um dos episódios de seu reality ter recorrido a procedimentos estéticos para corrigir pontos de calvície, por conta do uso constante de penteados justos.

Dependendo da gravidade, o transplante capilar não é uma opção, mas atualmente existem muitos tratamentos eficazes e pouco invasivos para minimizar e corrigir a calvície. Um deles é a mesoterapia, novidade no mundo capilar, que vai direto na raiz do problema, aplicando injeções de vitaminas e enzimas no couro cabeludo, fazendo com que os folículos produzam mais fios, que serão mais fortes e densos, e também ‘revive’ locais que já não os produzem.

Também chamada de Intradermaterapia, ela é vantajosa pois não tem efeitos colaterais, muitas vezes encontrados em remédios orais, e funciona com mais rapidez do que pomadas. “Em média são necessárias de 3 a 4 sessões com intervalos de um mês entre elas para conquistar bons resultados”, esclarece a especialista.

O procedimento começa com uma limpeza da região a ser tratada, seguida da aplicação das substâncias por meio de uma agulha fina. Por se tratar de técnica realizada diretamente no couro cabeludo, pode haver vermelhidão e inchaço local, mas é uma recuperação tranquila, sem repouso necessário, e dentro de algumas horas a paciente já se sente melhor.

Essa perda de cabelo pode parecer um problema irreversível, ou até tabu quando falamos da sua versão feminina, mas não se deve ter vergonha de buscar o tratamento. Marques assegura que hoje em dia existem alternativas discretas que podem resolver o problema rapidamente. “Além disso, quanto mais cedo for procurado o profissional, menos tempo é necessário e mais eficiente será a recuperação,” finaliza.



*Todos os artigos publicados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não expressam a linha editorial do portal e de seus editores.

MARCADO: ,
Compartilhe este artigo