Melatonina está liberada pela Anvisa e pode ser comprada sem receita médica

Ana Silva
Ana Silva
3 min. para leitura
Melatonina está liberada pela Anvisa e pode ser comprada sem receita médica

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou, recentemente, o uso da melatonina para a formulação de suplementos alimentares. Dentro deste cenário, a Puravida vai lançar em breve o suplemento Melatonina, que pode ser usado para equilibrar e restabelecer o sono, sem a necessidade do uso de sedativos ou remédios fortes, que sempre causam efeitos colaterais e, em algum caso, dependência.

Entre os benefícios de ter um sono equilibrado estão: a pessoa aproveita melhor o dia, a mente funciona melhor, o apetite é mais estável e as decisões ocorrem de forma mais ponderada. A ciência demonstra ainda que o relaxamento profundo facilita o processo de assimilação do aprendizado e permite que a memória se consolide com mais solidez.

A melatonina ajuda em todos esses processos. De fácil absorção, pois é sublingual, o suplemento é em gotas, dispensando a necessidade de qualquer aditivo. Além disso, o produto não contém álcool em sua formulação e pode ser comprado sem receita, segundo a Anvisa. Tem ainda um aroma suave de maracujá.

“Dormir é vital para quem precisa se fortalecer para vencer novos desafios, e manifestar o melhor de sua capacidade física e intelectual. É indispensável para o processo de longevidade saudável. Dormir bem é tão importante quanto uma boa alimentação”, comenta Flávio Passos, fundador e diretor criativo da Puravida.

Uma boa quantidade de melatonina não só conduz à sonolência, mas ajuda o corpo a atingir os estados mais profundos do sono. Ou seja, durante o processo do sono, a melatonina patrulha o organismo, combatendo os radicais livres e evitando que as células sofram alguma degeneração. Desta forma, consegue-se prevenir doenças, além de o suplemento atuar como um agente pró-longevidade.

A melatonina é um hormônio produzido naturalmente no cérebro humano, que auxilia no ciclo vigília-sono (também chamado de “relógio biológico”). Essa substância pode ser encontrada em pequenas concentrações nos alimentos, incluindo morango, cereja, uva, banana, abacaxi, laranja, mamão papaia, manga, tomate, azeitona, cereais, vinhos, carne (frango, carneiro, porco), leite de vaca e outros produtos alimentícios. Mas também pode ser produzida sinteticamente.

A substância já é utilizada em diversos países como suplemento alimentar e como medicamento, com condições de uso variadas. Devido ao interesse dos consumidores e do setor produtivo no acesso e na oferta de produtos contendo essa substância, a Anvisa, proativamente, avaliou a segurança e a eficácia do constituinte.

No Brasil, a melatonina está dentro da categoria de produtos destinada à complementação da dieta de pessoas saudáveis com substâncias presentes nos alimentos, incluindo nutrientes e substâncias bioativas. É destinada exclusivamente a pessoas com idade igual ou maior que 19 anos e para o consumo diário máximo de 0,21 mg, segundo a portaria da Anvisa.



*Todos os artigos publicados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não expressam a linha editorial do portal e de seus editores.

Compartilhe este artigo