Meias elásticas ajudam na prevenção da trombose

Ana Silva
Ana Silva
5 min. para leitura
Meias elásticas ajudam na prevenção da trombose

As meias de compressão, também conhecidas como meias elásticas, são grandes aliadas na prevenção e no tratamento de doenças venosas. O acessório se popularizou por proporcionar melhora na qualidade de vida e evitar desconfortos no dia a dia e no pós-operatório.

As meias geram uma pressão uniforme nas pernas e auxiliam o retorno do fluxo sanguíneo até o coração. O cirurgião vascular e membro da Comissão de Varizes da Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular – Regional São Paulo (SBACV-SP), Dr. Marcelo Fernando Matielo, explica que a compressão ajuda na circulação e evita que o sangue fique parado nas veias. “Na prática, elas facilitam o esvaziamento das veias profundas dos membros inferiores”, declara.

Quando usar?

A fim de prevenir a trombose, podem ser utilizadas por pacientes clínicos ou cirúrgicos, em situações associadas a medicamentos que afinam o sangue, ou equipamentos que estimulam a circulação (compressão pneumática intermitente). Em quadros de pós-cirurgia de varizes ou secagem de vasinhos (escleroterapia), o uso também demonstra resultados.

Na gestação, as meias apresentam benefícios como método preventivo, com o objetivo evitar o inchaço nas pernas. O sintoma é comum durante toda a gravidez, mas apresenta maior incidência a partir do terceiro trimestre.

Para a prática de exercícios físicos, as meias também podem ser utilizadas para diminuir as dores no pós-treino e dá mais disposição para treinar no dia seguinte.

A falta de movimentação é um fator que pode agravar os problemas venosos. Por exemplo, as longas viagens – de avião ou carro – com duração maior do que cinco a seis horas, são cenários propícios para a manifestação dos incômodos. Assim como trabalhadores, que passam longos períodos na mesma posição – em pé ou sentados – estão suscetíveis a apresentar sintomas de pernas cansadas, inchadas e pesadas.

“É importante lembrar que a posição de trabalho pode agravar uma doença venosa de uma pessoa que tenha predisposição para ter varizes, mas a posição não é a causa do aparecimento de varizes”, pontua o profissional.

De acordo com o Dr. Matielo, não existe um tempo exato para o uso das meias. “Normalmente, recomendamos ao paciente que fique com a meia quando estiver trabalhando ou realizando suas atividades diárias, ou seja, no período do dia, ou noturno para quem tem a maior parte de sua atividade neste horário”, explica.

A proporção dos sintomas, biotipo, grau de necessidade e possíveis complicações precisam ser considerados para a escolha do melhor modelo, e deve ocorrer com a ajuda de um profissional.

O Consenso Europeu de Cirurgia Vascular e Endovascular, publicado em janeiro deste ano, confirmou que o uso da meia elástica é indicado na maioria das situações clínicas, em pacientes portadores de trombose e Insuficiência Venosa Crônica. O documento teve como base a análise das principais pesquisas e trabalhos científicos publicados sobre o assunto, inclusive com dois trabalhos do Instituto de Excelência em Doenças Venosas (IEDV), liderados  pelo presidente da Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular – Regional São Paulo (SBACV-SP), Dr. Fabio H. Rossi, que celebra a conquista. “Ter os nossos estudos mostrados como parâmetro para o guideline é motivo de orgulho para a Cirurgia Vascular brasileira, uma vez que esse guia é usado para nortear o diagnóstico e tratamento no mundo inteiro”, reconhece.

A visita a um médico especializado é recomendada em todos os casos e idades. Estar em alerta e consumir informações adequadas são importantes para realizar o diagnóstico precoce e evitar maiores problemas. A SBACV-SP tem como missão levar informação de qualidade sobre saúde vascular para toda a população. Para outras informações acesse o site e siga-nos nas redes sociais (Facebook e Instagram).



*Todos os artigos publicados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não expressam a linha editorial do portal e de seus editores.

Compartilhe este artigo