Janeiro Roxo alerta para a diagnóstico precoce e tratamento da hanseníase

Ana Silva
Ana Silva
4 min. para leitura
Janeiro Roxo alerta para a diagnóstico precoce e tratamento da hanseníase

Uma doença crônica, infecciosa e na maioria das vezes silenciosa, a hanseníase afeta a pele e nervos das mãos, pés, olhos e nariz, levando até a amputação de membros do corpo em casos avançados. A doença também conhecida por lepra, quanto mais cedo for diagnosticada, mais rápida é a cura. Em Lauro de Freitas, a prevenção, o diagnóstico e o tratamento, são lembrados pela Secretária Municipal de Saúde (Sesa), durante o primeiro mês do ano com a campanha Janeiro Roxo.

Atualmente no município, 14 pacientes são acompanhados pelo Programa Municipal da Hanseníase que atende pessoas em todas as Unidades de Saúde da Família (USF) espalhadas pelo município ou no Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA), localizado na Avenida Bispo Renato Cunha, no Centro da cidade.

O fluxograma do atendimento é organizado em acolhimento e triagem realizados pela equipe de enfermagem. Na sequência, o paciente é encaminhado para consulta médica e em caso positivo o tratamento é iniciado imediatamente sendo inteiramente gratuito e assegurado pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

O dermatologista do CTA, Edson Lima, explica que a hanseníase é causada pelo bacilo de Hansen (Mycobacterium leprae). “A doença não é genética, portanto não é hereditária, e a evolução depende de características do sistema imunológico da pessoa que foi infectada. A transmissão se dá no contato físico entre uma pessoa doente, que não esteja em tratamento, para uma pessoa saudável e suscetível”, explica o médico que integra a equipe multidisciplinar composta ainda por enfermeiros, psicólogos, fisioterapeutas, farmacêuticos e técnicos que atuam no equipamento.

Como parte integrante da estratégia de controle da doença e para facilitar o acesso ao tratamento, durante todo o ano a SESA realiza a busca ativa dos casos através do rastreio feito pelos Agentes de Comunitários de Saúde (ACS) na Atenção Primária à Saúde. Após o levantamento das queixas e, caso visualmente eles percebam manchas no corpo, orientam para que o paciente busque atendimento médico ou de enfermagem para avaliação. “O diagnóstico precoce reduz as incapacidades físicas, que são as mais sérias consequências de um diagnóstico tardio”, alerta o médico.

Prevenção, sintomas e tratamento

O aparecimento de manchas esbranquiçadas ou em tons vermelhos na pele e que não possuem sensibilidade ao toque, estão entre os sintomas mais frequentes da doença. A enfermeira do CTA, Jeane Figueiredo, explica que após a confirmação da hanseníase, além do paciente positivado toda a família e em alguns casos pessoas do ambiente de trabalho são convidadas a realizarem uma avaliação médica com o objetivo de controlar a propagação da doença.

“Em média, o tratamento dura de seis meses a um ano e não pode ser interrompido. O paciente retira tanto no CTA quanto nas USFs a quantidade mensal de medicamentos que não são vendidos em farmácia convencional, apenas dispensados pelo SUS”, explicou.

Locais de atendimento

Em Lauro de Freitas, o CTA é uma das principais referências para controle, acompanhamento e tratamento da doença. O atendimento é realizado de segunda a sexta-feira, das 8h às 14h ou nas 16 USFs nos bairros da cidade com atendimento de segunda a sexta-feira, das 8h às 16h. “O ideal é que o indivíduo busque a unidade de saúde mais próxima de sua casa. Lá é feito o acolhimento e só serão encaminhados para a referência no CTA pacientes que estejam com alguma necessidade de acompanhamento por especialistas”, disse o diretor da Vigilância Epidemiológica da Sesa, Daniel Assis.

 

Jornalista: Giovanna Reyner

Foto: Maína Diniz



*Todos os artigos publicados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não expressam a linha editorial do portal e de seus editores.

MARCADO:
Compartilhe este artigo