Imigrantes legais são contra a imigração nos Estados Unidos

Ana Silva
Ana Silva
4 min. para leitura
Imigrantes legais são contra a imigração nos Estados Unidos

Pode parecer irônico, mas diversos imigrantes legais nos Estados Unidos são contra a imigração no país. Daniel Toledo, advogado que atua na área do Direito Internacional, fundador da Toledo e Associados e sócio do LeeToledo PLLC, escritório de advocacia internacional com unidades no Brasil e nos Estados Unidos, explica que o aumento da criminalidade é uma das principais preocupações de americanos e de imigrantes que já residem legalmente nos EUA. “Sim, um crescimento desenfreado na imigração pode também elevar o número de crimes. Se observarmos a região do sul do Texas, a criminalidade é absurda, principalmente do lado mexicano, que é controlado por narcotraficantes. E é justamente por ali que diversas pessoas se arriscam a atravessar aquele território para entrar ilegalmente nos Estados Unidos”, relata.

Ao adentrar no país, muitos imigrantes ilegais acabam visualizando o crime ou as ruas como a única forma de sobrevivência. “Essas pessoas provavelmente não vão conseguir empregos, pois elas não têm autorização de trabalho. Logo, acabam roubando, furtando e entrando de vez na criminalidade. Se esse não for o caso, é possível que esses imigrantes se tornem homeless, que também é um problema recorrente nos Estados Unidos”, detalha.

De acordo com o advogado, os imigrantes que conseguem viver e ganhar dinheiro com trabalhos como limpeza e jardinagem acabam pedindo um valor menor para a execução dessas funções, desvalorizando a mão de obra do país e, muitas vezes, tirando o trabalho dos nativos e imigrantes legais. “Se um americano cobra 35 dólares para realizar uma função, o brasileiro que entrou de forma ilegal no país vai cobrar 20. Essa competição desesperada beira ao desleal e acaba prostituindo os valores do mercado de trabalho”, revela.

Para Toledo, outro problema que se destaca é a dificuldade de imigrantes para se adaptarem à cultura local americana, algo que acontece principalmente com a comunidade brasileira no país. “Eu vejo muitos brasileiros querendo manter os seus costumes dentro dos Estados Unidos, fazendo as mesmas coisas que eles faziam no Brasil e isso pode ser um grande obstáculo. As pessoas querem sair do Brasil por causa de todos os problemas que existem por lá, mas mantém os mesmos hábitos culturais, seja corrupção, malandragem ou o famoso jeitinho brasileiro, tentando tirar vantagem de todas as situações possíveis. Os americanos estão cientes desse comportamento e ele é cada vez mais malvisto”, pontua.

Segundo o especialista em Direito Internacional, ao se mudar para um novo país é primordial que os imigrantes se atentem à cultura local, se adequando a determinados estilos de vida. “Ao chegar em qualquer país do mundo, a primeira coisa que você precisa fazer é se entrosar com a cultura local, entender quais são os costumes, as regras e respeitar as normas do local que você está indo. Tentar implantar a cultura do seu país naquela região é algo que não se deve fazer, pois provavelmente causará estranheza nos moradores daquela localidade”, finaliza.

*Daniel Toledo é advogado da Toledo e Advogados Associados especializado em Direito Internacional, consultor de negócios internacionais, palestrante e sócio da LeeToledo PLLC. Para mais informações, acesse: http://www.toledoeassociados.com.br. Toledo também possui um canal no YouTube com quase 150 mil seguidores https://www.youtube.com/danieltoledoeassociados com dicas para quem deseja morar, trabalhar ou empreender internacionalmente. Ele também é membro efetivo da Comissão de Relações Internacionais da OAB São Paulo e Membro da Comissão de Direito Internacional da OAB Santos.



*Todos os artigos publicados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não expressam a linha editorial do portal e de seus editores.

Compartilhe este artigo