Flautista carioca Guilherme Andreas se une a pianista chinesa Gianne Ge Zhu em disco que busca apresentar novas possibilidades para a música brasileira

Ana Silva
Ana Silva
3 min. para leitura
Flautista carioca Guilherme Andreas se une a pianista chinesa Gianne Ge Zhu em disco que busca apresentar novas possibilidades para a música brasileira

Diretamente do Forbes Center for the Performing Arts, em Virgínia, o flautista Guilherme Andreas soma suas notas à virtuose do piano Gianne Ge Zhu para colocar em destaque melodias que fazem parte da nossa história cultural, que soam familiares e emocionantes mas que não se parecem com o que comumente se chama de música brasileira. Isso está registrado em “Beyond Bossa Nova”, um disco que funciona como um manifesto e um estudo e está disponível em todas as plataformas de música via selo Polymnia.

Ouça “Beyond Bossa Nova”: https://smarturl.it/BeyondBossaNova

“As raízes musicais brasileiras vem de tão diferentes destinos, trajetórias e histórias, e se revelam de modo profundo, seja na música de concerto ou popular. ‘Beyond Bossa Nova’ nasceu do desejo de compartilhar a música brasileira com todas as mais diversas audiências ao redor do mundo. Meu desejo e paixão sempre foram difundir a música brasileira escrita por gente menos conhecida que nomes como Villa Lobos, Tom Jobim e João Gilberto”, conta Guilherme.

Solista com destaque em palcos de todo o Brasil e vários países do mundo, Andreas acumula honras como o primeiro lugar no Grande Prêmio Virtuoso do Concurso Internacional de Música 2020 Paris e Londres e na divisão profissional do Concurso Internacional Virtuoso Concert Artists 2019, o que lhe deu a oportunidade de apresentar um recital com piano no prestigiado Carnegie Hall, em Nova York, no mesmo ano.

Guilherme Andreas iniciou sua carreira musical no Brasil, onde estudou na Universidade de Brasília e depois concluiu seu bacharelado em Flauta no Conservatório Brasileiro de Música, sob a orientação de Odette Ernest Dias. Guilherme fez pós-graduação em Música de Câmara na mesma instituição sob orientação do violoncelista britânico David Chew, e estudou paralelamente com Cláudia Ribeiro do Nascimento (OSESP) e Michel Bellavance (Conservatoire de Genève).

Após ter estudado no Peabody Conservatory, Andreas se radicou em Nova York e continua seus estudos ampliando parecerias, como com a pesquisadora Gianne Ge Zhu. Juntos, eles recriam em disco faixas de Ary Ferreira, Leopoldo Miguéz, Pattapio Silva, José Siqueira, Heitor Villa-Lobos e Clarice Assad.

“O título ‘Beyond Bossa Nova’ (Mais Que Bossa Nova) surgiu após um recital que toquei nos Estados Unidos, quando uma jornalista me procurou e me disse da alegria em ouvir música brasileira que fosse além de Bossa Nova. É claro que a experiência dela é peculiar, mas me motivou ainda mais a fazer o possível para que mais e mais pessoas conheçam a riqueza da música do Brasil”, reflete ele.

“Beyond Bossa Nova” pode ser ouvido em todas as plataformas de música.

 



*Todos os artigos publicados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não expressam a linha editorial do portal e de seus editores.

Compartilhe este artigo
Por Ana Silva
Seguir:
"Acredite em si próprio e chegará um dia em que os outros não terão outra escolha senão acreditar com você. Cynthia Kersey Bem, isso resume meu 2022 :)