Filipe Ret expõe realidade sem retoques em LUME, primeiro disco do rap nacional lançado com experiência exclusiva no Spotify

Ana Silva
Ana Silva
5 min. para leitura
Filipe Ret expõe realidade sem retoques em LUME, primeiro disco do rap nacional lançado com experiência exclusiva no Spotify

“No escuro, toda luz afronta”. É dessa maneira que Filipe Ret sintetiza o seu novo trabalho, intitulado LUME. Expondo uma realidade sem retoques, o artista carioca entrega um álbum que tem o trap como sonoridade base, mas também se mescla ao funk e recebe até influências do axé. LUME soma 11 faixas e conta com participações de Anitta, L7NNON, Poze do Rodo, entre outros. O sexto disco do trapper chegou ontem, 16 de junho, quinta-feira, pela Som Livre, e no  Spotify (ouça aquicom uma experiência inédita para os fãs. Ret é o primeiro artista do rap nacional a realizar o lançamento de um Enhanced Album na plataforma, oferecendo uma imersão ao longo da audição com vídeos exclusivos, comentários e curiosidades sobre as faixas. No Brasil, apenas Luísa Sonza teve essa oportunidade no ano passado e, fora do país, nomes do calibre de The Beatles e Lady Gaga. O canal de YouTube de Ret, por sua vez, sobe LUME com visualizers (assista aqui).

LUME é inspirado na luz interior dos cria de todas as quebradas do mundo e é uma celebração do momento que o trap vive, principalmente o carioca. Tem muita gente boa por aí, por isso surgiu a ideia de trazer pessoas que gosto para os feats”, conta Ret. Das canções presentes no novo trabalho, sete têm participações, são elas: “Sonho dos Cria”, com MC Poze do Rodo; “Tudo Nosso”, com Anitta; “Good Vibe”, com Caio Luccas; “A Meu Favor”, com KAYUÁ; “7meiota”, com MC MANEIRINHO e MC Cabelinho; “Konteiner”, com L7NNON, e “Fight”, com MC Hariel.

Metade das parcerias têm como origem o funk e Ret enxerga isso com naturalidade. “São gêneros que convergem bastante, feitos para interferir mesmo. O trap e funk, no fundo, são dois lados da mesma moeda”, comenta o também fundador do selo NADAMAL RECORD$ (2021), que completa: “ter no mesmo álbum uma gigante como Anitta e um jovem como Caio Luccas é interessante para todo mundo”.

A tracklist é arrematada com as músicas “Melhor Agora”, “Trem Bala” e “Vermelho Fogo”. Esta última foi produzida durante a turnê de Imaterial (2021) pelos Estados Unidos e foi a primeira a entrar para a tracklist do novo trabalhoenquanto “Todo Poder”, é responsável por encerrar a obra com um novo olhar do artista sobre si. “Essa música foi muito inspirada no Djonga e no encontro com uma tropa de peso. Eu assimilei aquela energia e, no dia seguinte, escrevi essa letra, na qual eu tô basicamente matando o Ret que achou que venceu”, reflete.

Em LUME, Filipe Ret não apenas evoca sobre os acontecimentos da vida real, sem filtros, mas também induz a um questionamento que guia esse momento: “Até que ponto a gente recebe uma luz e até que ponto a gente é a própria luz?”.

Sobre Filipe Ret
Com mais de 10 anos de carreira, Filipe Ret é um dos maiores nomes da cena do rap nacional, arrastando multidões em shows nacionais e internacionais. Seu canal do YouTube possui mais de 580 milhões de visualizações e no Spotify o rapper ostenta mais de 8 milhões de ouvintes mensais. Antes de LUME, seu último grande trabalho pela Som Livre foi o projeto Imaterial (2021), que ganhou versão Deluxe (ouça aqui) com participações especiais de nomes como Marcelo Falcão, L7NNON, Orochi e MC Cacau. O álbum ficou entre os #10 mais tocados nas plataformas de música, com todas as músicas no Top #200, com destaques para “Corte Americano” (assista aqui) e “F*F*M*” (assista aqui), – esta que figurou no Top 50 Viral Global do Spotify – e ambas faixas receberam certificação de Diamante. Após um ano de seu lançamento, Imaterial coleciona cerca de 500 milhões de plays nas plataformas de streaming e de vídeo, além de receber certificação de Platina.

Ainda pela Som Livre, Filipe Ret lançou singles e feats de peso como “Ilusão” (assista aqui); “Sessão do Descarrego”, com Dfideliz (assista aqui); “Dentro de Você”, com Kevin O Chris (assista aqui) e “Cidade dos Anjos” (assista aqui). Pela gravadora o rapper também concluiu sua trilogia de álbuns com Audaz (2018), fechando o ciclo após os lançamentos de Revel (2015) e Vivaz (2012).

Ouça “LUME” aqui

Assista aos visualizers de “LUME” aqui 



*Todos os artigos publicados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não expressam a linha editorial do portal e de seus editores.

Compartilhe este artigo
Por Ana Silva
Seguir:
"Acredite em si próprio e chegará um dia em que os outros não terão outra escolha senão acreditar com você. Cynthia Kersey Bem, isso resume meu 2022 :)