Feira de Economia Solidária da Bahia acontece no Rio Vermelho, em Salvador, neste fim de semana

Ana Silva
Ana Silva
4 min. para leitura
Feira de Economia Solidária da Bahia acontece no Rio Vermelho, em Salvador, neste fim de semana
A empreendedora Júlia Oliveira, trouxe seus produtos de saboaria artesanal para comercializar na 27a edição da Feira de Economia Solidária da Bahia, que teve início nesta sexta-feira (25) e acontece até domingo (27), das 16h às 23h, no bairro do Rio Vermelho, em Salvador. A iniciativa é do Governo do Estado, por meio da Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre), para promover o escoamento da produção dos empreendimentos assessorados pelo Centro Público de Economia Solidária (Cesol) Região Metropolitana de Salvador e Vera Cruz.
O evento está montado no Largo da Mariquita, no Rio Vermelho, bairro boêmio de Salvador, também considerado um dos maiores pontos turísticos da cidade. Entre os produtos comercializados na exposição, estão artesanatos e manualidades, como bijuterias, esculturas, artigos para casa e peças de costura criativa, confeccionados por grupos, associações e cooperativas, além de alimentos e bebidas gourmets e produtos da agricultura familiar. “Temos 55 empreendedores nesta edição e seguimos com nosso objetivo de dar visibilidade e gerar renda também para empreendimentos econômicos solidários, através da comercialização nas feiras”, explica a coordenadora de Inovação e Fomento à Economia Solidária da Setre, Mércia Porto Barata.
Primeira vez expondo em um evento promovido por intermédio da Cesol, a empreendedora. Júlia Oliveira encheu sua barraca de velas, difusores de ambiente, sabonetes, sais e geleias de banho. “É uma experiência bacana e estou gostando muito de ter a oportunidade de expor meus produtos”, declara a empreendedora, que atualmente conta com a produção e comercialização da saboaria artesanal para garantir sua renda.
Frequentadora assídua de feiras de artesanato, a comerciante Tarsila Ferreira está sempre comprando algo para uso pessoal, para presentear ou mesmo para o estoque da sua loja, e destaca a importância deste tipo de evento. “Esse espaço é super importante para divulgar o trabalho artesanal. É um meio de gerar economia e às vezes, é a fonte principal de renda, então é essencial comprar direto de quem produz”, diz Tarsila.
Cesol
Os Centros Públicos de Economia Solidária (Cesol) oferecem orientação financeira, capacitação contábil, jurídica, comercial, de marketing e gestão, além de assessorarem na aquisição de ativos junto às instituições de crédito e canais de comercialização para os empreendedores da economia solidária.
Na Bahia, existem 3.747 empreendimentos de economia solidária, sediados em 17 territórios de identidade, que contam com o suporte de 15 unidades de atendimento do Cesol.
 
Feira livre
Para participar das feiras, o empreendedor precisa procurar a unidade do Cesol do seu território de identidade e realizar o cadastro do seu empreendimento, onde também terá acesso à assessoria técnica para o desenvolvimento do seu negócio.
A meta do programa é realizar 100 edições da Feira de Economia Solidária da Bahia, até o final de 2022, com um investimento total de R$ 2 milhões da gestão estadual. A próxima edição da feira está prevista para acontecer no município de Itajuípe, entre os dias 31 de março e 2 de abril.
Foto: Mateus Pereira/GOVBA


*Todos os artigos publicados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não expressam a linha editorial do portal e de seus editores.

Compartilhe este artigo