Escolinha de Triathlon destaca respeito e representatividade feminina no esporte, no mês das mulheres

Ana Silva
Ana Silva
4 min. para leitura
Escolinha de Triathlon destaca respeito e representatividade feminina no esporte, no mês das mulheres

O respeito e a representatividade feminina no esporte ganharam ainda mais destaque em março, na Escolinha Aeris de Triathlon Formando Campeões. Numa roda de conversa com a professora, meninos e meninas discutiram a importância do Dia Internacional das Mulheres e as atitudes de cada um para reforçar a igualdade de gêneros.

A ação foi alinhada com o quinto Objetivo de Desenvolvimento Sustentável da Organização das Nações Unidas, que aponta para a busca pela igualdade de gêneros. Faz parte desse objetivo o combate de todas as formas de assédio e violência contra as mulheres. No total, 17 ODS integram a Agenda 2030 da ONU, voltada para a redução das desigualdades no mundo.

“Aqui em Caucaia os garotos são muito companheiros e cavalheiros. Mesmo assim, procuramos reforçar o respeito que eles devem ter com todas as mulheres que estão na vida deles, as colegas de treino, as familiares, a professora. Explicamos a eles que todas as mães são guerreiras, tanto aquela que seguiu estudando e trabalhando para dar uma vida melhor ao filho, como aquela que abdicou de todos os seus sonhos para cuidar da criança”, conta a professora Isabelle Ribeiro, do núcleo de Caucaia.

Com as meninas, a conversa envolveu a conscientização sobre os cuidados dentro e fora das aulas. “O maquaquinho usado no triathlon fica justo no corpo, e às vezes fazemos treinos externos. Por isso, alertamos elas para não darem ouvidos a comentários sobre o seu corpo, ou conversar conosco a respeito. Também enfatizamos que nenhum homem pode tocá-las, mesmo o pai, ou o avô. Elas devem ficar atentas aos olhares, aos toques”, diz Isabelle.

 

Meninas no triathlon

A importância das meninas ocuparem cada vez mais espaço no triathlon também esteve em destaque. Com a Federação de Triathlon do Estado do Ceará comandada por uma mulher, as triatletas mirins de Caucaia são mais conscientes do seu papel.

“As garotas aqui entendem como é importante elas estarem ocupando esse espaço no esporte, ainda mais no triathlon, uma modalidade nova na região. A própria Dona Fátima Figueiredo, presidente da Fetriece, já esteve aqui, para conhecer e conversar com elas sobre isso”, conta a professora Isabelle Ribeiro. “Eu também disse para as meninas pesquisarem mais sobre as mulheres triatletas, para se espelharem. E, nas atividades em grupo, sempre fico de olho para que haja meninas em cada time. Nada de exclusão!”

Na Escolinha de Triathlon, o ODS 5 da ONU já foi alcançado também com a igualdade de oportunidades. A equipe técnica tem o mesmo número de professores e professoras. Entre os alunos, metade das vagas são reservadas às meninas.

 

Metas da Agenda 2030 na Escolinha

A formação de crianças e adolescentes por meio do esporte é a principal missão da Escolinha de Triathlon Formando Campeões. Mais do que as técnicas do nada, pedala e corre, a equipe técnica segue diretrizes pedagógicas para orientar os triatletas mirins em questões como organização pessoal, disciplina e respeito aos pais e professores.

Essas diretrizes também estão de acordo com os 17 objetivos de desenvolvimento sustentável que integram a Agenda 2030 da Organização das Nações Unidas, a ONU, com a qual o projeto está comprometido. A Escolinha busca atingir esses objetivos de forma individual, com ações de conscientização com os alunos, e coletiva. Faz parte do projeto o compartilhamento dos equipamentos de treino, a preocupação com uma educação escolar de qualidade, adoção da igualdade de gêneros no número de alunos e professores.



*Todos os artigos publicados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não expressam a linha editorial do portal e de seus editores.

Compartilhe este artigo
Por Ana Silva
Seguir:
"Acredite em si próprio e chegará um dia em que os outros não terão outra escolha senão acreditar com você. Cynthia Kersey Bem, isso resume meu 2022 :)