Dramón lança “O Tempo Abaixo dos Céus”, single inspirado por literatura

Nathália Pandeló
Nathália Pandeló
3 min. para leitura
Dramón (Crédito: Clara Miloski)
Dramón (Crédito: Clara Miloski)

Músicas climáticas e que brincam com os sentidos são uma das muitas facetas de Dramón, projeto de ambient e eletrônica do músico Renan Vasconcelos. Abrindo caminho para o novo disco, “C É U S”, a ser lançado pelo selo americano Mystery Circles, a inédita “O Tempo Abaixo dos Céus” revela forte conexão com todo o conceito do álbum, calcado na temática dos mistérios para além do firmamento. O single já está disponível para streaming, e o álbum fechará um ciclo criativo iniciado pelo artista como um desafio pessoal em 2020 de criar uma música por semana. 

Ouça “O Tempo Abaixo dos Céus”: https://ingrv.es/o-tempo-abaixo-dos-ink-m 

Embora seja uma faixa instrumental, “O Tempo Abaixo dos Ceús” é uma peça narrativa importante dentro das sensações que Dramón quer passar com o novo trabalho. Tanto que a inspiração veio da literatura. A ideia da paisagem também permeia o álbum, tendo se tornado um dos temas centrais do single anterior, “Ouro Cinza da Terra”

Ouça “Ouro Cinza da Terra”: https://ingrv.es/ouro-cinza-da-terra 

“‘O Tempo Abaixo dos Céus’ é uma música bem desoladora, inicialmente inspirada em paisagens de romances norte-americanos como A Folha Dobrada (William Maxwell) e O Apanhador no Campo de Centeio (J.D. Salinger), romances que retratam algum grau de angústia e alienação. Essa música é meio chave para toda a conceituação do disco pois quando há esse nível de desolação, os céus ganham um protagonismo maior e mais especial: é para lá que olhamos e confidenciamos nossos medos e desejos, e imploramos por respostas”, resume.

Sobre o projeto:

Dramón surgiu da vontade de contrapor à ansiedade das grandes metrópoles – um reflexo da vivência do músico Renan Vasconcelos pelo cenário musical do Rio de Janeiro, ele mesmo natural da serra fluminense. Porém, após se refugiar no balneário de Búzios, Renan trocou a região dos lagos por São Paulo, onde reside há quatro anos. Essa mudança atravessa a identidade sonora da Dramón, um projeto guiado por sensações, vibrações e climas.

Depois de revelar suas primeiras criações ainda em 2019, Dramón vem lançando novidades, entre elas o single “oscilar” (2020) e quatro EPs: “Afã” (2020), “Bétula//Membrana” (2021), “pra hoje” (2021) e “Performar Selvagem” (2022). Além disso, ele lançou o disco completo “Àspero” em 2021. Agora, “C É U S” será um novo capítulo dessa trajetória. Esses últimos lançamentos são fruto da maratona criativa que o artista propôs ainda antes do período pandêmico.

“C É U S” será lançado em 16 de agosto. Enquanto isso, é possível conferir os singles já lançados nas principais plataformas de música.

Ficha técnica

Composto, produzido e mixado por Renan Vasconcelos

Masterizado por Pedro Serapicos



*Todos os artigos publicados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não expressam a linha editorial do portal e de seus editores.

Compartilhe este artigo