Dia da Mulher: quatro ideias para abordar a data com crianças pequenas

Ana Silva
Ana Silva
5 min. para leitura
Dia da Mulher: quatro ideias para abordar a data com crianças pequenas

Ano após ano, o significado e a importância do Dia Internacional da Mulher vão se modificando e ganhando novas camadas. Dos aspectos mais protocolares às reflexões mais profundas, a data tem atualmente um sentido muito mais amplo que a simples celebração das virtudes femininas. Mas como trabalhar esse assunto tão complexo com as crianças mais novas?

Para a assessora pedagógica do Sistema Positivo de Ensino, Tatiane Sprada, é fundamental estabelecer, desde cedo, um diálogo sobre o papel da mulher na sociedade contemporânea. “Essa é uma oportunidade para que os familiares e professores possam enaltecer figuras femininas que fizeram e continuam fazendo história no mundo, mas não podemos esquecer que esse também é o momento de mostrar mulheres inspiradoras que estão próximas às crianças”, afirma. A especialista destaca, ainda, que não é preciso abordar essa temática apenas no Dia Internacional da Mulher. O ideal, segundo ela, seria transformar essas ações em atividades contínuas de valorização da mulher.

Mães, irmãs, avós

Uma das muitas maneiras de trabalhar ludicamente a relevância da mulher é trazer a conversa para exemplos próximos dos pequenos. Todos eles convivem com suas mães, tias, avós, irmãs, professoras. Por isso, uma das atividades possíveis é incentivá-los a falar sobre essas mulheres. O que elas fazem no dia a dia? Com que trabalham? Qual a importância que têm para o cotidiano dessas crianças? O adulto pode fazer perguntas como essas e deixar que os pequenos se expressem livremente, relatando seu relacionamento com as mulheres que os cercam todos os dias.

No entanto, a sociedade contemporânea tem uma grande diversidade na composição dos núcleos familiares. Por isso, é muito importante respeitar e acolher todas as crianças. “Principalmente em sala de aula, onde há maior diversidade, é necessário ter um cuidado para que as crianças respeitem a fala dos colegas – e mais importante ainda é acolher os que apontarem um homem em vez de uma mulher ocupando este lugar de referência”, destaca Tatiane.

Retratos afetivos

Um passo adiante nessa mesma atividade é, por exemplo, pedir que as crianças desenhem as mulheres com quem convivem. Enquanto elas utilizam lápis-de-cor, canetinhas e gizes-de-cera, o adulto deve estimular a reflexão sobre o papel que elas desempenham em casa, no trabalho, no grupo social. Quem são os amigos ou amigas delas? O que elas gostam de comer? Que tipo de música gostam de ouvir? Todos esses detalhes contribuem para que as crianças desenvolvam a compreensão de que essas mulheres são seres humanos completos e complexos, com seus próprios medos, vontades e objetivos.

Uma vez mais, é fundamental reconhecer e validar as experiências dos pequenos, conversando sobre os muitos formatos de família existentes. “O olhar atento e a escuta ativa do adulto são fundamentais para que o trabalho desta temática também respeite as crianças que não se sentirem à vontade em compartilhar seus sentimentos e pensamentos”, diz a especialista.

Me conta uma história

Muitas escolas de Educação Infantil têm como costume separar um momento do dia ou da semana para a contação de histórias. As crianças adoram e interagem com os enredos e as personagens, fazendo com que cada história se torne única naquele contexto. A ideia, então, é levar para a criança histórias reais de mulheres incríveis. Já existem, atualmente, coletâneas com essa característica especialmente pensadas para crianças. O adulto pode buscar essas coletâneas e contar as histórias, sempre incluindo a opinião dos pequenos na narrativa.

Depois, desenhos, músicas e outras representações artísticas daquilo que eles ouviram sempre são uma boa pedida. Peça para que eles reproduzam suas personagens ou histórias preferidas. Outra ideia é incluir toda a família nesse processo e pedir para que os pequenos contem aos parentes as histórias que ouviram e, juntos, desenvolvam um trabalho manual, como um desenho ou um cartaz, contando essas histórias.

Senhoras e senhores

Por fim, uma ideia mais ampla para trabalhar o Dia da Mulher é montar com as crianças uma peça de teatro narrando a vida de mulheres incríveis. Aqui, pode ser selecionada uma das histórias trabalhadas na atividade da contação de história. Cada um deles desempenha um papel da narrativa e os pais e responsáveis são a plateia.



*Todos os artigos publicados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não expressam a linha editorial do portal e de seus editores.

Compartilhe este artigo
Por Ana Silva
Seguir:
"Acredite em si próprio e chegará um dia em que os outros não terão outra escolha senão acreditar com você. Cynthia Kersey Bem, isso resume meu 2022 :)