Ciclo de Cuidados já distribuiu quase 100 mil absorventes a alunas da rede

Ana Silva
Ana Silva
3 min. para leitura
Ciclo de Cuidados já distribuiu quase 100 mil absorventes a alunas da rede

O projeto Ciclo de Cuidados, do Programa Dignidade Menstrual da Mulher, lançado no ano passado pela Prefeitura de Salvador, distribuiu 44.140 absorventes no último mês de janeiro para as alunas da rede. Desde o lançamento, já foram entregues quase 100 mil itens para a higiene e cuidado feminino. A entrega ocorre de maneira mensal e sistemática, seguindo calendário já determinado, abrangendo todas as Gerências Regionais de Ensino.

Por meio do sistema de matrícula, a Coordenadoria de Inclusão Educacional e Transversalidade da Secretaria Municipal de Educação (Smed) identifica a quantidade de alunas na faixa etária atendida (dos 11 aos 50 anos) por escola, para a realização do envio. Cada aluna tem direito a receber 16 absorventes por mês. O investimento anual na compra do produto de higiene é de cerca de R$700 mil.

A coordenadora de Inclusão Educacional e Transversalidade, Jaqueline Araújo, ressalta a importância da ação. “Ela tem como alguns dos objetivos a prevenção da evasão e da infrequência escolar. Com ela, a Prefeitura promove também a dignidade e a cidadania dessas adolescentes e mulheres. A iniciativa mostra todo um cuidado não apenas com a entrega do absorvente, mas com o que esse absorvente representa na vida de cada beneficiada”.

Jaqueline acrescenta que além da entrega desses produtos, está sendo planejado todo um cuidado com a educação acerca da menstruação, higiene e saúde feminina. No momento, a Smed, em parceria com as Secretarias Municipais de Políticas para Mulheres, Infância e Juventude (SPMJ) e da Saúde (SMS), prepara um ciclo de palestras para a comunidade escolar, que acontece neste mês de março.

“Ainda estamos definindo quem vai ministrar as palestras, os temas, locais e cronogramas, mas assim que tivermos a definição, as informações serão divulgadas. Por meio das palestras, oficinas e distribuição de materiais informativos, contemplando tanto as meninas como os meninos, nós estamos promovendo uma compreensão diferente sobre a menstruação. Os alunos começam a entender que isso faz parte do ciclo biológico feminino. Não é algo para ter vergonha, para temer, tampouco para ser motivo de ridicularização”, afirma.

Motivação – O Programa Dignidade Menstrual da Mulher foi lançado em novembro do ano passado pela Prefeitura. O Ciclo de Cuidados foi criado considerando o fato de que a evasão escolar por falta de recursos para a compra de absorventes é uma realidade, indicada inclusive por estudos desenvolvidos por universidades e organismos internacionais. Por exemplo, de acordo com o estudo “Pobreza Menstrual no Brasil: desigualdade e violações de direitos”, mais de 4 milhões de meninas no país não têm acesso a itens mínimos de cuidados menstruais nas escolas.

Foto: Bruno Concha/Secom



*Todos os artigos publicados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não expressam a linha editorial do portal e de seus editores.

Compartilhe este artigo