Casa do Hip-Hop Perus recebe o evento “Quebrada Viva” do Coletivo Noroest

Ana Silva
Ana Silva
3 min. para leitura
Casa do Hip-Hop Perus recebe o evento “Quebrada Viva” do Coletivo Noroest

Coletivo Noroest convida a população de Perus e região para evento que celebra a cultura hip-hop

No dia 18 de dezembro de 2021 (sábado), a partir das 16:00, com entrada gratuita, o Coletivo Noroest realiza o evento Quebrada Viva na Casa do Hip-Hop Perus, que fica na Rua Júlio Maciel, na Vila Perus, São Paulo – SP. 

O evento é o último da temporada do projeto Coletivo Noroest – quebrada viva”, que já promoveu edições anteriores na Praça Padre João Bosco Penido Burnier, na Vila Medeiros (Zona Norte), na Rua Cinturão Verde, em Ermelino Matarazzo (Zona Leste) e na Rua Luiz Celso Berti, no bairro Melhoramentos, em Caieiras, nos dias 13, 27 de novembro e 04 de dezembro, respectivamente.

O público de todas as idades poderá participar de um dia repleto de atividades gratuitas dedicadas à cultura urbana, como batalhas de breaking e outras ações que tem como objetivo fomentar e dar visibilidade para novas produções artísticas com base na cultura hip-hop, valorizando as várias formas de manifestações culturais produzidas na periferia.

As batalhas de breaking, tradicionais disputas de dança onde cada participante defende seu estilo, interagindo e improvisando em cima das músicas executada por um DJ, contarão com a participação de  Luan, Boca e Keka como jurados e DJ INSANO, além da premiação em dinheiro (R$ 300,00) junto com um troféu para o primeiro ou primeira colocada, já que b-boys e b-girls poderão participar.

A programação contará ainda com Graffiti da artista Cléo, e show de Amanda Negrasim.  

Visando incentivar o hábito da leitura, sobretudo ao conteúdo da história do Hip-hop, o evento contará com uma biblioteca temática com oferta de livros e outros materiais didáticos voltados à cultura hip-hop. Um ambiente organizado e confortável que possibilitará a interação das crianças e familiares com monitores durante atividades lúdicas, contação de histórias e leituras de livros como “O grito do hip-hop”, “A quebrada em quadrinhos”, “Nelson Triunfo, do sertão ao Hip-hop”, “Mulher de Palavra: Um retrato de mulheres no Rap de São Paulo”, ”A pedagogia hip-hop: Consciência, resistência e saberes em luta”, “Batidas, rimas e vida escolas” e “Genealogia hip-hop”.  

Haverá uma roda de conversa entre artistas e público abordando temas como “Arte, cultura e política: hip-hop instrumento de transformação social”, “Qual a grande importância do hip-hop nas quebradas?”, “Empoderamento feminino através do hip-hop”, “Quebrando paradigmas, derrubando preconceitos: hip-hop dentro das escolas”, entre outros.    

E ainda uma vivência prática e coletiva da dança breaking, que permitirá a participação de pessoas de todas as faixas etárias, respeitando as particularidades do público e dando espaço para fluir o primeiro contato com uma dança urbana.  



*Todos os artigos publicados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não expressam a linha editorial do portal e de seus editores.

Compartilhe este artigo
Por Ana Silva
Seguir:
"Acredite em si próprio e chegará um dia em que os outros não terão outra escolha senão acreditar com você. Cynthia Kersey Bem, isso resume meu 2022 :)