Acidentes com móveis e crianças: dicas de como evitar

Ana Silva
Ana Silva
4 min. para leitura
black floor lamp on living room sofa

Os acidentes domésticos, apesar de oferecerem muitos riscos, são bastante comuns, principalmente com crianças. Segundo dados do Instituto Bem Cuidar, responsável pela continuidade da ONG Criança Segura, todos os dias cerca de oito crianças morrem e 288 são hospitalizadas por causas acidentais no Brasil. Este número foi ainda maior durante a pandemia, entre março e outubro de 2020, foram registrados 39 mil atendimentos de crianças e adolescentes no SUS, número 112% maior que em 2019, de acordo com dados do Ministério da Saúde.

Os motivos são diversos, desde queimaduras, intoxicação, afogamentos, sufocamentos e quedas. Estes dois últimos revelam um perigo que passa despercebido pelos pais e cuidadores, o tombamento de móveis e TVs. O número é tão preocupante que, para alertar os pais, todo ano a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) lança uma campanha global com regulamentadores para conscientizar sobre o risco. No Brasil, o responsável é o Inmetro.

Segundo um levantamento feito pelo Inmetro, 93% das pessoas afirmaram já terem visto ou tomado conhecimento de casos de crianças escalando móveis. Entre esses, 77% afirmaram saber de casos de crianças que sofreram acidentes porque o móvel ou a TV tombou sobre elas. O levantamento revela, ainda, serem bastante elevados os percentuais de lesões leves em decorrência de tombamento de móveis ou TV (43,1%) e de lesões graves ou fatais (21,2%).

Nos EUA, o número é ainda maior. A cada 17 minutos, uma pessoa é ferida por queda de móveis e, de acordo com Comissão de Segurança de Produtos de Consumo, a cada duas semanas, uma criança morre em decorrência de acidentes com mobiliário. Entre as principais causas, está a montagem errada ou malfeita dos móveis. “O consumidor vê o manual de montagem e acha que é simples, mas não é tanto assim. A montagem errada, além de poder estragar sua mobília, ainda pode oferecer riscos de desmontagem e tombamentos”, explica Geraldo Rigoni, CEO e fundador da Achei Montador, e-commerce especializado em montagem de móveis.

Geraldo Rigoni
Geraldo Rigoni

O especialista fala que o ideal é comprar móveis de qualidade e contar com um serviço profissional de montagem. “O mercado de móveis deixou de oferecer a montagem inclusa na venda e isso deixou o consumidor perdido, sem saber onde contratar. Mas nada substitui um profissional que sabe como garantir a segurança e a qualidade. Só assim o seu móvel será instalado da forma correta e sem perigo de tombamento”.

Para garantir a segurança dos pequenos, Geraldo dá algumas dicas:

  • Nunca monte os móveis sozinho ou contrate pessoas sem experiência;
  • Compre móveis de qualidade e de marcas confiáveis;
  • Se puder, fixe na parede ou no chão móveis que correm o risco de tombar;
  • Sempre sigas as instruções do fabricante para garantir o manuseio correto;
  • Use travas de segurança para evitar que as gavetas sejam usadas de degraus pelas crianças.


*Todos os artigos publicados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não expressam a linha editorial do portal e de seus editores.

Compartilhe este artigo